Exposição de Portos e Aeroportos de Comércio Exterior e Fluxos Logísticos – Maio de 2017

maio 4, 2017 § Deixe um comentário


Alunos da Fatec Indaiatuba convidam população para exposição

Nos dias 09 e 10 de maio de 2017epacel, os alunos dos cursos de Comércio Exterior e Logística Aeroportuária da Faculdade Tecnológica de Indaiatuba,
 por meio de maquetes de portos e aeroportos, demonstrarão como se realiza o processo de importação e exportação de diferentes cadeias de suprimentos, apresentando a melhor solução para o fluxo logístico de cada cadeia, sendo:
– Cadeia de Suprimento: Vestuário
Produto: Biquíni; Operação: Exportação;
Porto de Origem: Paranaguá – BRA
Porto de Destino: Veracruz – MEX
– Cadeia de Suprimento: Alimentos
Produto: Cachaça; Operação: Exportação;
Porto de Origem: Porto de Santos – BRA
Porto de Destino: Porto de Miami – EUA
– Cadeia de Suprimento: Eletrônicos
Produto: Smartphone; Operação: Importação;
Aeroporto de Origem: Shenzhen Bao’an – CHI
Porto de Destino: Viracopos – BRA
Segundo Reinaldo Toso Júnior, professor responsável pelo projeto, “O trabalho tem como objetivo promover a troca de conhecimento entre os alunos dos cursos de Comércio Exterior e Logística Aeroportuária, já com a exposição, nossa finalidade é oferecer aos estudantes do ensino médio que estão no momento de escolha de carreira, a oportunidade de conhecer a dinâmica que envolve a área de comércio exterior e de logística. Estamos convidando também as empresas da região, pois é uma maneira de aproximar nossos os alunos do mercado de trabalho”.
Além das exposições de maquetes os alunos disponibilizarão informações e curiosidades sobre os principais canais, portos e aeroportos do mundo.
O evento será aberto ao público nos horários das 9h às 11h, das 14h às 17h e das 19h30 às 21h30. A entrada é franca.
17309242_1157190577744059_2791364762671556498_n
Anúncios

Onde você vai estudar em 2018?

novembro 12, 2017 § Deixe um comentário


Faça um curso superior de tecnologia gratuito na Fatec Indaiatuba – Dr. Archimedes Lammoglia

R. D. Pedro I, 65 – Cidade Nova I
CEP 13334-100 – Indaiatuba/SP
Telefone: (19) 3885-1922 / (19) 3885-1923
E-mail: vestibular@fatecindaiatuba.edu.br
Site: www.fatecindaiatuba.edu.br

Cursos oferecidos

http://www.vestibularfatec.com.br/unidades-cursos/escola.asp?c=148

 

Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab.

novembro 10, 2017 § Deixe um comentário


CENTRO PAULA SOUZA – CEETEPS

Faculdade de Tecnologia “Dr. Archimedes Lammoglia”  Indaiatuba – FATEC  Indaiatuba – FATEC ID

 

 

 

 

 

Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab.

 

 

Reinaldo Toso Júnior

RESEARCHERID:           G-5163-2010

ORCID.ORG/0000-0002-8479-7832

http://lattes.cnpq.br/7474365492502365

 

 

 

 

INDAIATUBA

AGOSTO DE 2017

Rua D. Pedro I, 65 – Cidade Nova – CEP: 13334-100 – Indaiatuba/SP

 

Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab.

 

Resumo Este relatório trata das atividades docentes do Projeto Logislab em iniciação cientítica. Este projeto foi necessário para se  desenvolver a capacidade de compreender as competências essenciais de cada unidade de negócio e da própria cadeia de suprimentos no ensino da logística. Partiu do pressuposto de que não é fácil ensinar esta capacidade de síntese sem um objeto de estudo que possa, embora de maneira limitada, representar todos os atores em uma cadeia. Para isso definiu-se o uso de maquetes no ensino da logística. O resultados finais apontaram no progresso de alunos que se inscreveram na iniciação científica, entretanto os resultados também apontaram um baixa participação, ao final é feita uma proposta para solucionar a baixa participação.

Palavras-chave: Iniciação científica, competências essências, maquetes e logística.

 AbstractThis report deals with the teaching activities of the Logislab Project in scientific initiation. This project was necessary to develop the ability to understand the essential competencies of each business unit and the supply chain itself in teaching logistics. It assumes that it is not easy to teach this capacity for synthesis without an object of study that can, albeit in a limited way, represent all the actors in a chain. For this, the use of models in logistics teaching was defined. The final results pointed to the progress of students who enrolled in scientific initiation, however the results also indicated a low participation, at the end a proposal is made to solve the low participation.

Keywords: Scientific initiation, essentials competences, models and logistics.

 

Introdução

 

O projeto Logislab consolidou-se na Faculdade de Tecnologia “Dr. Archimedes Lammoglia”  Indaiatuba – FATEC  Indaiatuba (FATEC) como um projeto didático envolvendo o ensino por meio de maquetes. Foi aprovado pela Ata de Reunião Ordinária da Comissão de Implantação da Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba, realizada em 26/11/2007[1].

 

Em 2007 o projeto Logislab foi aprovado pelo Colegiado da FATEC, que se denomina Congregação. Entre os anos de 2007 e 2009 buscaram-se meios de financiamento para atender suas aspirações iniciais como um laboratório de simulação por meio de tecnologias aplicadas, como não foi possível alocar financiamento para o projeto buscaram-se meios para sua realização, um dos meios foi uma solução híbrida, parte com recursos da própria Instituição e a colaboração espontânea dos professores. Solução está que prevalece até hoje.

 

Com o estudo de meios e aplicações no ensino tecnológico na literatura específica chegou-se ao uso de maquetes aplicadas no ensino, estes estudos estão reunidos e concentrados em um artigo “O uso de maquetes e dioramas no ensino técnico e tecnológico em unidades do Centro Paula Souza” (CALABREZI, JUNIOR e OSSADA, 2010).

 

Por fim consolidou-se a ideia do empego da maquete no ensino da logística, resultado da compreensão do uso de maquetes para o ensino de geografia, história e de engenharia civil de da arquitetura.

 

A simulação ou emulação de conceitos e ideias pode ser encontrados nos jogos, jogos de construção de pontes de macarrão e das guerras de robôs.  Portanto entendeu-se que não constituía em uma aventura isolada.

 

A construção de uma maquete representando uma cadeia de suprimentos para o ensino da logística com a participação dos alunos estava consolidada dentro deste meio: o lúdico, o jogo, a tecnologia e a complexidade, voltados para o ensino.

 

A maquete foi composta de duas fases, a fase 1 foi de 2009 até 2012, uma maquete quadrada de 8 metros quadrados[2] simulando uma cadeia de suprimentos com todos os modais.

 

A segunda fase começou em 2012, visto que a maquete original foi desmontada para a reforma do bloco 1, 2010-2011, onde a maquete estava instalada. Com a desmontagem ela foi destruída ocorrendo o aproveitamento de partes e peças.

 

Durante o intervalo de tempo várias maquetes menores foram executadas, entre estas uma maquete móvel com uma empilhadeira de controle remoto[3] e que foi utilizada em exposições itinerantes na Fatec Guaratinguetá, Fatec Jaú e foi enviada três vezes para a Fatec Americana como empréstimo das feiras ali realizadas.

 

Também foi feita uma maquete em 2012 para a Fatec Guaratinguetá[4] e foi enviada para lá, constituindo-se na primeira produção de peça didática para compor o acervo de outra unidade de ensino.

 

No mesmo período outra maquete foi construída na ETEC Doutor Emílio Hernandez Aguilar Franco da Rocha[5] , ficando ali até 2015 quando foi desmontada para dar espaço para um laboratório de química e física e foi descontinuada.

 

Na fase 2 da maquete sua construção foi planejada para uma maior exposição e participação dos alunos na sua construção e assim foi configurada na forma de U[6] e atingiu 14 metros quadrados e esta á a sua configuração atual.

 

Como peça didática a  maquete foi divulgaa em mídias sociais, Logislab – FATEC Indaiatuba – Facebook, https://www.facebook.com/LogisLab-Fatec-Indaiatuba-138146656309100/ e http://www.facebook.com/Logislab, e LOGISLAB 1 – Blog do Laboratório de Logística da Fatec, fatecid.wordpress.com/tag/logislab-1, divulgação Institucional, mídia local e principalmente pela participação dos alunos.

 

Também foi exibido para visitantes duas vezes por ano nos eventos abertos da FATEC e atrai muitos visitantes de colégios, faculdades da própria rede e outras instituições de ensino, como faculdades particulares e universidades.

 

Uma nova fase ou fase 3 iniciou-se com a aprovação dos Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica na FATEC Indaiatuba. Por já haver uma metodologia de ensino e uma prática didática consolidada[7] foi possível elaborar um projeto de iniciação científica para discutir a tecnologia:

 

Aplicações de aeronaves ligeiramente mais pesadas do que ar no Brasil, 2013-2015, cujo material está disponível em <https://fatecid.wordpress.com/2013/04/27/index-applications-of-aircrafts-lighter-heavy-than-air-in-brazil-aplicacoes-de-aeronaves-ligeiramente-mais-pesadas-do-que-ar-no-brasil/&gt;.

 

Esta primeira iniciação científica envolveu vários estudos sobre os híbridos trazendo para a FATEC a discussão do que ainda viria acontecer como o reemprego dos aeróstatos dirigíveis e suas inovações com as novas tecnologias[8]. Resultou em dois trabalhos finais de graduação:

 

Luan Rodrigues Estrioli. Transportes de cargas especiais. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em logística aeroportuária) – Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba. Orientador: Reinaldo Toso Júnior. Esta monografia descreve o processo do transporte de cargas especiais e levanta às hipóteses do uso dos dirigíveis para resolver o problema que estes tipos de cargas apresentam.

 

Rebeka Amanda Maia Soares. Aeronaves ligeiramente mais pesadas do que o ar no Brasil. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em logística aeroportuária) – Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba. Orientador: Reinaldo Toso Júnior. Já este trabalho abre uma discussão das novas tecnologias aplicadas ao transporte aéreo e discute a viabilidade de uma inovação.

 

O segundo projeto de iniciação científica e tecnológica da FATEC Indaiatuba é denominado  “Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab”[9]. Refere-se ao período 2016-2017.

 

Este último será o objeto de apresentação e discussão neste relatório, portanto, irá englobar as horas atividade específicas deste autor como docente no projeto Logislab e os resultados do projeto de iniciação científica e tecnológica realizados na Faculdade de Tecnologia “Dr. Archimedes Lammoglia” em Indaiatuba – SP sob a temática “Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab”.

 

Justificou-se pelo fato de que existe uma grande dificuldade no ensino tecnológico em vista dos tradicionais sistemas e arranjos do ensino por disciplinas, ocorrendo a dicotomia no ensino tecnológico, assim atende n a melhoria do ensino como por expor de maneira mais clara a identificação das competências das empresas e da própria cadeia em si e como propor meios e ferramentas de controle.

 

A problemática é que no ensino da logística a compreensão sistêmica da cadeia de suprimentos é fundamental, entretanto dentro de cada unidade de negócio existe um enlace de todas as áreas do conhecimento social aplicado e este enlace afeta as relações na cadeia de suprimentos.

 

É necessário desenvolver a capacidade de se compreender as competências essenciais de cada unidade de negócio e da própria cadeia de suprimentos. Não é fácil ensinar esta capacidade de síntese sem um objeto de estudo que possa, embora de maneira limitada, representar todos os atores em uma cadeia.

 

Em função disso as perguntas norteadoras deste projeto foram:

É possível por meio de atividades práticas com uma maquete e o ensino da logística identificar as competências essências de uma cadeia de suprimentos?

Com isto feito é possível desenvolver um processo de gestão da logística utilizando os elementos da maquete como meio de inspiração?

Torna o processo de ensino mais eficaz?

Envolve, portanto, um complexo sistema de aquisição de conhecimento, sistematização analítica, diagnóstico, proposta e implantação de um sistema de gestão.

 

Por isso este projeto teve como objetivo o estudo e a realização de um sistema de gestão aplicado à cadeia de suprimentos tendo como objeto a maquete, de maneira pratica, conciliando os conceitos da cadeia de suprimentos e as atividades práticas dentro da didática do ensino da logística.

 

Os propósitos do projeto de iniciação científica e tecnológica “Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab” de modo específico foram os seguintes:

 

Identificar todos os atores na cadeia de suprimentos que estão representados na maquete e melhorar estes atores transformando cada um em um negócio, utilizando-se dos conceitos de gestão empresarial. Estabelecer as relações logísticas (suas operações) entre os atores da maquete e descrever o fluxo. Compreender e mapear as competências essenciais.

 

Desenvolver a gestão logística por meio de fluxos, tabelas, controles, documentos e registros de modo a se estabelecer um processo capaz de reger a administração de todo a maquete como se fosse uma cadeia de suprimentos de fato.


Métodos e/ou Metodologia utilizados

 

O método que norteou todo o trabalho é o de projetos, visto que este tem múltiplas etapas no seu desenvolvimento e envolve várias abordagens em cada etapa. Por sua natureza o Projeto Logislab é multidisciplinar e intercursos. Em 2014 este projeto ficou aninhado dentro do NELOG – Núcleo de Estudos da  Logística[10].

 

A limitação do projeto esta em sua percepção tanto pelos docentes como pelos alunos, muitas vezes sob o rótulo de “maquetes”.  Para mitigar esta limitação foi necessário entender este objeto maquete como uma estratégia, um meio de promoção dos objetivos do ensino, ferramenta de ensino-aprendizagem, por isso precisa ser discutida, elaborada e contextualizada pelos alunos.

 

Maquetes são valiosas no ensino da Engenharia Civil, Arquitetura, Geografia, História e Meio Ambiente, visto que lidam com ambientes, o Homem no seu contexto, o Homem e o seu ambiente. Cadeias de suprimentos não são diferentes, portos, aeroportos, centros de distribuição, pátios, fábricas, distritos industriais, cidades e mobilidade urbana, gruas portuárias, viadutos, pontes, ferrovias e demais elementos constitutivos, equipamentos, pessoas e empresas: todos estes elementos do ambiente compõe uma cadeia, clientes, fornecedores, prestadores de serviços e infraestruturas, se entrelaçam na cadeia e esta precisa fazer o fluxo. No fluxo temos o indivíduo e os seus meios, no coletivo a união dos elos.

 

O Projeto Logislab e todas as Iniciações Científicas Tecnológicas vinculadas à ele enquadram-se na grande área das Ciências Sociais Aplicadas, na área da administração, localizado na subárea da administração de empresas e  com a especialidade em  Logística.

 

Por sua natureza de extensão e do envolvimento dos alunos em graduação seus propósitos entrelaçam-se com a do ensino, constituindo-se de uma metodologia de ensino específica aplicada ao curso de tecnologia em logística em vista de que  o objetivo principal é a melhoria do ensino da logística.

 

Em sua estrutura de pesquisa há seguinte orientação e subordinação das pesquisas[11]:

 

  • Gestão da Cadeia de Suprimentos Global e Regional.
  • Organização dos transportes; Gestão da Armazenagem; Modelação dos estoques; Planejamento dos estoques; Desenho e organização de fluxos.
  • Roteirização de frotas; Otimização de embalagens; Gestão de estoques pelo fornecedor; Sequenciamento da produção e Plano de manutenção.
  • Outras Áreas de Apoio

 

 

 

Figura 1 – LOGISLAB, hierarquia da rede de conhecimentos do Núcleo.

Fonte: Estruturação do Núcleo de Pesquisa. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2010/12/12/nucleo-de-pesquisas-logislab/ >.

 

Para se cumprir com os objetivos de melhorar o ensino da logística por meio das maquetes com o desenvolvimento da gestão logística por meio de fluxos, tabelas, controles, documentos e registros é necessário desenvolver o estudo por meio da pesquisa exploratória.

 

Esta pesquisa exploratória se faz necessário para seja possível ao aluno identificar todos os atores na cadeia de suprimentos que estão representados na maquete.

 

A pesquisa ação ocorre também concomitante tanto para melhorar estes atores transformando cada um em um negócio. Esta melhoria é tanto lúdica como conceitual e assim os alunos utilizam os conceitos de gestão empresarial.

 

Ao se estabelecer as relações logísticas (suas operações) entre os atores da maquete e descrever o fluxo eles precisam compreender e mapear as competências essenciais, o que leva novas pesquisas exploratórias.

 

O local desta pesquisa foi no laboratório de logística denominado LOGISLAB, como foi explicado, criado em 2007, desenvolvido entre 2010 e 2016, que engloba seus 14 metros quadrados de maquete.

 

Envolve alunos e professores e o seu entorno, é um laboratório que é um projeto e o projeto é o laboratório, portanto o Logislab é um local específico que conta com materiais diversos que levam a experimentação e a aprendizagem das cadeias de suprimentos e os modais e que fisicamente é interpretado por maquetes.

 


Resultados

 

Com  este projeto os resultados esperados  foram:

 

  • Tornar o processo de ensino mais eficaz:
  • Identificar todos os atores na cadeia de suprimentos:
  • Aplicar os conceitos de gestão empresarial/logística;
  • Estabelecer as relações logísticas (suas operações) entre os atores da maquete.
  • Compreender e mapear as competências essenciais e
  • Desenvolver a gestão logística como se fosse uma cadeia de suprimentos de fato.

 

Os resultados esperados foram atingidos e sintetizados por meio de dois relatórios realizados pelos alunos:

 

AMANDA IIZUKA ; MINIOLI, L. ; TASSARA, A. ; MADER, M. ; FRIZARINI, V. ; TOSO JÚNIOR, Reinaldo . Projeto de iniciação científica e tecnológica: Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba: 1o Relatório, INDAIATUBA: FATEC, 2017.

 

Nestes trabalhos os alunos foram capazes de identificar as competências essenciais e por meio delas estabelecer as relações entre os diversos atores na cadeia de suprimentos.

 

Com estas relações elaboraram fluxos e criaram várias cadeias de suprimentos estabelecendo uma conexão entre representações na maquete (fotos e nomes que criaram) e explicando os fluxos ou canais e os relacionamentos dentre da cadeia de suprimentos de modo que seria possível estabelecer um sistema de gestão à partir do ponto de vista dos fluxos que os alunos criaram.

 

TASSARA, A. e TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab/Gestão de Facilidades e Competências Essenciais – Relatório Final, INDAIATUBA: FATE, 2017.

 

Neste segundo relatório o aluno conseguiu abstrair como um item isolado contribui para a cadeia de suprimentos, no caso específico a gestão de facilidades (facilities management ou como o aluno cunhou, por meio de sua pesquisa, gestão de facilities (GF). Não havendo equivalente em português, o mais perto é a tradução literal: facilidades.

 

Entretanto o texto objetivo chama não só a atenção para aquilo que se pode erroneamente denominar apenas como manutenção ou instalações prediais como também seu trabalho foi capaz de identificar como os setores de apoio podem no todo ou em parte corromper ou impedir o desempenho da cadeia de suprimentos e interromper o fluxo de materiais e colocar a cadeia de suprimentos em colapso e não entregar valor/gerar valor para o cliente.

Fora do texto do aluno, mas ainda no contexto, pode-se extrapolar para outras áreas de infraestrutura e entendermos como isso afeta toda a cadeia de suprimentos no que tange às infraestruturas e o crescimento econômico.

 

O texto abaixo é um trecho da notícia sobre a devolução da gestão do Aeroporto Internacional de Viracopos para o Governo Federal pelo consórcio atual que assumiu sua gestão e serve para ilustrar como é interessante esta discussão de maquetes como uma promoção, interpretação e tradução de realidades complexas em um contexto tão amplo como a cadeia de suprimentos:

 

Para o economista Pedro Paulo Zahluth Bastos, pesquisador do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (Cecon) da Unicamp, o momento econômico do Brasil não é favorável a grandes investimentos em infraestrutura, o que afasta interessados em assumir Viracopos.

 

G1, 28/07/2017.

 

 

 

Outras produções e atividades com o projeto ocorreram como atividade de aula envolvendo vários alunos de cursos diversos permitindo que estes pudessem compreender as complexidades da cadeia de suprimentos por meio da maquete do projeto LOGISLAB.

 

As atividades previstas foram listadas na forma de resultados desejados e que são por sua vez derivados dos objetivos geral e específicos do projeto. A evidência de cumprimento do que foi proposto de dá por meio destes dois relatórios discentes, onde o primeiro já foi submetido à apreciação do comitê de análise pode comprovar que os resultados foram atingidos.

 

O segundo relatório será enviado juntamente com este relatório como ANEXO de maneira que possa ser apreciado pelo comitê de análise.

 

As várias atividades listadas como outras produções envolveram as seguintes situações:

 

Envolvimento dos alunos do 2º semestre do Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior e dos alunos do 4º semestre do Curso Superior de Tecnologia em Logística Aeroportuária na SCELMA (Semana do Comércio Exterior, Logística e Meio Ambiente) é um evento anual da Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba com a exibição de portos, aeroportos, fluxos de logística e a exibição e explicação da maquete do LOGISLAB ao público no primeiro semestre de 2017.

 

Envolvimento dos alunos do 4º semestre do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial Vespertino e Noturno na elaboração de trabalhos com a temática dos modais por meio das maquetes do Logislab, destacando-se à construção de uma maquete de um Shopping Center para compor a futura ampliação do aeroporto. Primeiro semestre de 2017.

 

A formação de um grupo de alunos no 1º semestre do Curso Superior de Tecnologia em Logística Aeroportuária para ampliar o aeroporto da maquete e incorporar o Shopping Center construído por outra turma e com continuidade no 2º semestre de 2017.

 

O projeto portanto cumpriu sua função quanto a eficácia no processo de ensino, visto que os alunos puderam aprender de maneira mais intensa e  em profundidade aspectos que não são abordados de maneira integral em sala de aula.   Os estudantes também mostraram serem capazes de identificar todos os atores na cadeia de suprimentos e tanto em atividades na maquete como na produção dos seus textos foram capazes de aplicar os conceitos de gestão empresarial/logística. Conseguiram estabelecimento as relações logísticas (suas operações) entre os atores da maquete e demonstraram a compreensão e mapeamento das competências essenciais.

 

Na constituição do grupo de alunos diretamente inscritos na Iniciação Científica a ressalva que se faz sobre os resultados obtidos é que embora tenha sido eficaz esta metodologia ela não foi eficiente no total em vista de que dos cinco alunos envolvidos, os cinco fizeram o relatório parcial 1, que foi em grupo, mas apenas um fez o relatório individual.

 

Isto se dá não pelo fato de não serem alunos aplicados, mas em função de suas vidas acadêmicas e profissionais, visto que dos cinco apenas dois estão no quarto semestre e os demais estão entre o quinto e o sexto semestre, nos quais os trabalhos acadêmicos se avolumam e muitos estão conquistando postos no mercado de trabalho. Os vieses quer transpassam a Iniciação Científica e Tecnológica é que esta não tem bolsa, não remunera, não tem verba, não se custeia, ressalva feita às horas atividades específicas ao docente, aspectos estes complexos que diminuem a eficiência do projeto na promoção e divulgação da Ciência e da Tecnologia.

 

Como são macro aspectos que extrapolam a sala de aula, o projeto e a unidade de ensino em si, estando atrelados às políticas educacionais e científicas do país, estas não foram discutidas aqui neste projeto, mas são sentidas.  Apesar desta ser uma inferência isolada não significa estar não respaldada:

 

Cada vez mais, a relação entre conhecimento científico e capacidade de inovação tecnológica se estreita, colocando as nações que mais investem em pesquisa como líderes mundiais. E o Brasil não vem se apresentando como uma delas. O país é superado não apenas pelos tradicionais países desenvolvidos, mas também, a partir da década de 1990, por países emergentes, em especial China e Coreia do Sul, que perceberam mais cedo a necessidade de investimento pesado em educação e de montar um sistema de inovação dinâmico e eficiente, capaz de concorrer, inclusive, com as grandes potências.

SENADO FEDERAL, 2012.

 

Talvez a vinculação desta produção como equivalente ao Projeto de Trabalho de Graduação e a Trabalho de Graduação possa incentivar a perenidade dos alunos neste tipo de projeto que hoje não remunera o aluno financeiramente, mas poderia  lhe dar a pontuação acadêmica em vista de que para validar sua iniciação como Trabalho de Conclusão de Curso ou Trabalho d Graduação isto só ser aceito se ele (o aluno) publicar um artigo em revista acadêmica referenciada, o que constitui um grande desafio visto que estas projetos de iniciação e os próprios trabalhos de graduação são na verdade a primeira produção científica/tecnológica deles.

 

Produção docente:

AS DEZESSETE COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DE UMA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UM RESUMO. Publicado em 1 de fevereiro de 2017

https://www.linkedin.com/pulse/dezessete-compet%C3%AAncias-essenciais-de-uma-cadeia-um-toso-j%C3%BAnior

 

THE ESSENTIAL COMPETENCIES OF THE SUPPLIES CHAIN. Publicado em 20 de dezembro de 2016. https://www.linkedin.com/pulse/essential-competencies-supplies-chain-reinaldo-toso-j%C3%BAnior

AS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA CADEIA DE SUPRIMENTOs. https://www.academia.edu/s/35a7cf4612/as-competencias-essenciais-da-cadeia-de-suprimentos. Publicado em 16 de dezembro de 2016.

 

E-book com os melhores artigos do II Encontro de Educação realizado no Brasil. 7 março, 2017. 2.      Os trabalhos selecionados são:  (…) “Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba: Projeto Logislab”. Reinaldo Toso Jr. (Brasil – Doutorado em Educação da FUNIBER). https://noticias.funiber.org.br/2017/03/07/funiber-e-book-melhores-artigos-encontro-educacao-brasil

 

II Encontro de Educação – FUNIBER Brasil 2017, celebrado de 25 a 27 de janeiro, Florianópolis – SC. http://www.fatecid.com.br/v2014/index.php/1067-o-projeto-logislab-sera-apresentado-pelo-prof-reinaldo-toso-jr-em-um-encontro-de-educacao-em-florianopolis.html

 

Produção discente

 

AMANDA IIZUKA ; MINIOLI, L. ; TASSARA, A. ; MADER, M. ; FRIZARINI, V. ; TOSO JÚNIOR, Reinaldo . Projeto de iniciação científica e tecnológica: Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba: 1o Relatório, INDAIATUBA: FATEC, 2017.

TASSARA, A. e TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab/Gestão de Facilidades e Competências Essenciais – Relatório Final, INDAIATUBA: FATEC, 2017.


Considerações Finais

 

Por meio do exposto neste relatório foi possível entender que os alunos foram capazes de compreender as competências essências de uma cadeia de suprimentos e que o uso de maquetes como objeto é de grande importância como elemento lúdico, do jogo, tanto como estímulo ou como ferramenta de uma modelo limitado, não é e não deve ser o único modo ou método de ensino, mas trouxe grandes incentivos e é sim um método interessante e inovador, visto que a maquete é perene, uma peça constante tanto de exposição como de manuseio, construção e criação, uma forma de pesquisa-ação dentro de um projeto.

Na questão da quantidade de alunos envolvidos  as questões apontadas extrapolam o projeto, dadas às suas limitações orçamentárias, mas não deveria ser deixado de lado aspectos externos ao projeto e que nele interferem, o que não invalida o método de ensino em si, mas por suas limitações na extrapolação fica como sugestão.

 

Portanto pode-se afirmar que foi possível por meio de atividades práticas com uma maquete e o ensino da logística identificar as competências essências de uma cadeia de suprimentos e que permitiu aos alunos desenvolverem  um processo de gestão da logística utilizando os elementos da maquete como meio de inspiração e que tornou o processo de ensino mais eficaz.

O objetivo da maquete que foi de servir  como objeto de estudo e a realização de um sistema de gestão aplicado à cadeia de suprimentos funcionou  de maneira pratica, os alunos conseguiram conciliar os conceitos da cadeia de suprimentos e as atividades práticas por meio dos estudo dos fluxos dos vários atores cadeia de suprimentos.

 

O modelo de gestão embora não tenha sido muito bem definido fica subentendido por meio da identificação das competências essências e cada rede ou cadeia sendo tanto no aspecto macro (IIZUKA ET. AL., 2017) como em detalhes (TASSARA, A. e TOSO JÚNIOR, 2017), por isso entende-se que o que foi construído é uma gestão de fluxos das cadeias de valor por meio da observação e interpretação das cadeias de suprimentos.

 


Referências Bibliográficas:

 

AMANDA IIZUKA ; MINIOLI, L. ; TASSARA, A. ; MADER, M. ; FRIZARINI, V. ; TOSO JÚNIOR, Reinaldo . Projeto de iniciação científica e tecnológica: Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba: 1o Relatório, INDAIATUBA: FATEC, 2017.

 

CALABREZI, Sandro; JUNIOR, Reinaldo Toso; OSSADA, Jaime Cazuhiro. Uso de maquetes e dioramas no ensino técnico e tecnológico em unidades do Centro Paula Souza. Reverte-Revista de Estudos e Reflexões Tecnológicas da Faculdade de Indaiatuba, n. 8, 2010.

 

G1. Acionistas da concessionária decidem entregar Viracopos e governo deve preparar nova licitação. Diretoria da Aeroportos Brasil Viracopos inicia processo de ‘devolução amigável’ do terminal de Campinas (SP) ao governo federal. Por Marcello Carvalho, Luciano Calafiori e Fernando Evans, G1 Campinas e Região, 28/07/2017. Disponível em <http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/acionistas-da-concessionaria-decidem-entregar-viracopos-e-governo-deve-preparar-nova-licitacao.ghtml&gt;.

 

ESTRIOLI, Luan Rodrigues. Transportes de cargas especiais. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em logística aeroportuária) – Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba. Orientador: Reinaldo Toso Júnior.

 

NÚCLEO DE PESQUISAS LOGISLAB. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2010/12/12/nucleo-de-pesquisas-logislab/>. Indaiatuba: FATEC-ID, 2010.

 

NELOG – Núcleo de Estudos de Logística. Disponível em <http://fatecid.com.br/v2014/index.php/adm.html>. Indaiatuba: FATEC-ID, 2014.

 

TASSARA, A. e TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab/Gestão de Facilidades e Competências Essenciais – Relatório Final, INDAIATUBA: FATE, 2017.

 

TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Aplicações de aeronaves ligeiramente mais pesadas do que ar no Brasil, 2013-2015. Projeto de Iniciação Científica e Tecnológica. Disponível em <https://fatecid.wordpress.com/2013/04/27/index-applications-of-aircrafts-lighter-heavy-than-air-in-brazil-aplicacoes-de-aeronaves-ligeiramente-mais-pesadas-do-que-ar-no-brasil/ >. Indaiatuba: FATEC-ID, 2013.

 

TOSO JÚNIOR, Reinaldo. A diretora superintendente do Centro Paula Souza, Sra. profa. Laura Laganá visitou a nossa maquete, novembro 24, 2010. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2010/11/24/a-diretora-superintendente-do-centro-paula-souza-sra-profa-laura-lagana-visitou-a-nossa-maquete/ >. Indaiatuba: FATEC-ID, 2010.

 

TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Estruturação do Núcleo de Pesquisa. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2010/12/12/nucleo-de-pesquisas-logislab/ >. Indaiatuba: FATEC-ID, 2010.

 

TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Maquete para a Semana de Tecnologia Outubro de 2012: De 08 a 11 FATEC INDAIATUBA, setembro 25, 2012. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2012/09/25/maquete-para-a-semana-de-tecnologia-outubro-de-2012-de-08-a-11-fatec-indaiatuba/>. Indaiatuba: FATEC-ID, 2012.

 

TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Aplicações teóricas e metodológicas no ensino tecnológico de logística na faculdade de tecnologia de Indaiatuba: projeto logislab. Indaiatuba: FATEC-ID, 2013.

TOSO JÚNIOR, Reinaldo. Ficou pronta a maquete da FATEC Guaratinguetá, março 31, 2012. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2012/03/31/ficou-pronta-a-maquete-da-fatec-guaratingueta/>. Indaiatuba: FATEC-ID, 2012.

 

SENADO FEDERAL. Situação da educação, do investimento em pesquisa e da participação da indústria deixam Brasil longe de líderes mundiais em inovação tecnológica. Brasília, Senado Federal: Em discussão. Revista de audiência públicas do Senado Federal, ano 3, n. 12, setembro de 2012. Disponível em <http://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/inovacao/inovacao-tecnologica-no-mundo-brasil/situacao-da-educacao-do-investimento-em-pesquisa-e-da-participacao-da-industria-deixam-brasil-longe-de-lideres-mundiais-em-inovacao-tecnologica.aspx&gt;

 

SOARES, Rebeka Amanda Maia. Aeronaves ligeiramente mais pesadas do que o ar no Brasil. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em logística aeroportuária) – Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba. Orientador: Reinaldo Toso Júnior.

 

 

[1] Núcleo de Pesquisas LogisLab. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2010/12/12/nucleo-de-pesquisas-logislab/&gt;

[2] A diretora superintendente do Centro Paula Souza, Sra. profa. Laura Laganá visitou a nossa maquete, novembro 24, 2010. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2010/11/24/a-diretora-superintendente-do-centro-paula-souza-sra-profa-laura-lagana-visitou-a-nossa-maquete/ >.

[3] Maquete para a Semana de Tecnologia Outubro de 2012: De 08 a 11 FATEC INDAIATUBA, setembro 25, 2012. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2012/09/25/maquete-para-a-semana-de-tecnologia-outubro-de-2012-de-08-a-11-fatec-indaiatuba/&gt;.

[4]Ficou pronta a maquete da FATEC Guaratinguetá, março 31, 2012. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2012/03/31/ficou-pronta-a-maquete-da-fatec-guaratingueta/&gt;

[5] Novas aquisições para a maquete da Escola Técnica Estadual Doutor Emílio Hernadez Aguilar, dezembro 10, 2012. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2012/12/10/novas-aquisicoes-para-a-maquete-da-escola-tecnica-estadual-doutor-emilio-hernadez-aguilar/&gt;.

[6] A maquete do LOGISLAB voltou, junho 22, 2014 .Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2014/06/22/a-maquete-do-logislab-voltou/ >.

[7] Divulgado na mídia social acadêmica academia. Edu, disponível em <http://www.academia.edu/Documents/in/Pr%C3%A1ticas_Educativas_de_Ensino&gt;

[8] Dirigível em São Carlos – Voo Inaugural 03/07/17 – Airship do Brasil. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=8rrRPRFjbFE&gt;

[9] Divulgado em < http://www.academia.edu/27504779/PROJETO_DE_INICIA%C3%87%C3%83O_CIENT%C3%8DFICA_E_TECNOL%C3%93GICA_APLICA%C3%87%C3%95ES_TE%C3%93RICAS_E_METODOL%C3%93GICAS_NO_ENSINO_TECNOL%C3%93GICO_DE_LOG%C3%8DSTICA_NA_FACULDADE_DE_TECNOLOGIA_DE_INDAIATUBA_PROJETO_LOGISLAB > e dentro do termo de pesquisa: < http://www.academia.edu/Documents/in/Mockups >.

 

 

[10] NELOG – Núcleo de Estudos de Logística. Disponível em <http://fatecid.com.br/v2014/index.php/adm.html&gt;

[11] Estruturação do Núcleo de Pesquisa. Disponível em < https://fatecid.wordpress.com/2010/12/12/nucleo-de-pesquisas-logislab/ >.

CONFIRA COMO FOI A EXPOSIÇÃO DE PORTOS E AEROPORTOS NA XXI Semana de Tecnologia e 9ª Mostra Cultural e Negócios da Inovação DA FATEC INDAIATUBA, 03 e 04 de outubro de 2017

novembro 7, 2017 § Deixe um comentário


BRIEFING – PROJETO INTEGRADOR DE CURSO
SEGUNDO SEMESTRE DE 2017

SEGUNDO SEMESTRE DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM COMÉRCIO EXTERIOR

QUARTO SEMESTRE DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA AEROPORTUÁRIA

– Professor Responsável: Reinaldo Toso Júnior,
– Data do evento: 03 e 04 de outubro de 2017– XXI Semana de Tecnologia e 9ª Mostra Cultural e Negócios da Inovação.
– Objetivo: Alunos dos cursos descritos irão desenvolver apresentações por meio de maquetes e Fluxos Logísticos, demonstrando o processo de importação/exportação e soluções logísticas para cadeias de suprimentos distintas.
– Local: Dependências da Fatec Indaiatuba.
– Público: Alunos da Fatec, empresários de Indaiatuba e região e estudantes de outras instituições.

AS CADEIAS REPRESENTADAS NESTA EXPOSIÇÃO FORAM:

 – Cadeia de Suprimento: Agronegócio
 Produto: Suco de soja (liquido); Operação: Exportação;
 Porto de Origem: Paranaguá – BRASIL
 Porto de Destino: Veracruz- MÉXICO

 – Cadeia de Suprimento: Eletrônicos
 Produto: Bateria de lítio; Operação: Exportação;
 Aeroporto de Origem: Viracopos – BRASIL
 Aeroporto de Destino: Miami – ESTADOS UNIDOS

 – Cadeia de Suprimento: Petroquímico
 Produto: Tinta Epóxi para aviação; Operação: Exportação;
 Porto de Origem: Santos- BRASIL
 Porto de Destino: Miami- ESTADOS UNIDOS

 Cadeia de Suprimento: Frios
 Produto: Vacina antiofídica; Operação: Exportação;
 Aeroporto de Origem: Viracopos- BRASIL
 Aeroporto de Destino: Frankfurt- ALEMANHA
Segundo Reinaldo Toso Júnior, professor responsável pelo projeto, “O trabalho tem como objetivo promover a troca de conhecimento entre os alunos dos cursos, já com a exposição, nossa finalidade é oferecer aos estudantes do ensino médio que estão no momento de escolha de carreira, a oportunidade de conhecer a dinâmica que envolve a área de comércio exterior e de logística. Estamos convidando também as empresas da região, pois é uma maneira de aproximar nossos alunos do mercado de trabalho”.

 

Frankfurt x Viracopos

Miami x Viracopos

Veracruz x Paranagua

Logislab

 

A TURMA

VÍDEOS DA FEIRA

 

 

 

As imagens, nomes, textos e pessoas neste trabalho são exibidas para ilustrar e ensinar enquanto se aprende, para todos os efeitos esta é uma peça de aula, é proibido o seu uso fora do ambiente acadêmico ou para outros fins que não seja o de uso em estabelecimento de ensino regular. Copyright © Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba – Rua Dom Pedro I, 65 . Cidade Nova I | CEP 13334-100 | Fone: (19)3885-1923

MOSTRA DE NEGÓCIOS DA INOVAÇÃO

agosto 31, 2017 § Deixe um comentário


DATAS DA FEIRA:

03/10: manhã fechado, 14h30-17h00, 19h00-22h00
04/10: 09h00-11h30, 14h30-17h00, 19h00-21h30

Fatec Indaiatuba – Dr. Archimedes Lammoglia. R. D. Pedro I, 65 – Cidade Nova I CEP 13334-100 – Indaiatuba/SP Telefone: (19) 3885-1922 / (19) 3885-1923

 

https://goo.gl/maps/QP3oJxan7272

folder2017-2.pngO QUE É O LOGISLAB? https://www.facebook.com/Logislab/

 

Venha estudar Gestão Empresarial no período Vespertino na Fatec Indaiatuba 14h30-18h00 ENSINO SUPERIOR GRATUITO E DE QUALIDADE – Vestibular 2º SEM/17.

maio 30, 2017 § Deixe um comentário


  • De 11/05 até às 15h do dia 12/06/2017 – Inscrições do Processo Seletivo no site http://www.vestibularfatec.com.br

  • 27/06/2017 – Divulgação dos locais de Exame
  • 02/07/2017 (domingo), às 13h – Exame – duração da prova: 5 horas
  • 02/07/2017 (domingo), a partir das 18h30min – Divulgação do gabarito oficial
  • 20/07/2017 – Divulgação da lista de classificação geral, da 1ª lista de convocação e do desempenho dos candidatos
  • 24/07 e 25/07/2017 – Matrícula da 1ª lista de convocação
  • 26/07/2017 – Divulgação da 2ª lista de convocação
  • 27/07/2017 – Matrícula da 2ª lista de convocação

Valor da taxa de inscrição
R$ 75,00 (setenta e cinco reais)

Venha estudar Gestão Empresarial no período Vespertino na Fatec Indaiatuba 14h30-18h00
ENSINO SUPERIOR GRATUITO E DE QUALIDADE

LINK: https://www.vestibularfatec.com.br/candidato/dados-acesso.asp?t=IN

GRANÉIS E SILOS

maio 23, 2017 § Deixe um comentário


CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLOGIA PAULA SOUZA

FATEC – FACULDADE DE TECNOLOGIA DE INDAIATUBA

CURSO DE GESTÃO EMPRESARIAL

 

ALAN SOARES GOMES

ANDRESSA KOCH GOMES

ARLEY AUGUSTO MARCIANO

MALLU STEFFANI RIBEIRO

 

GRANÉIS E SILOS

Indaiatuba

2017

 

O que são Granéis

De acordo com Rodrigues (Id.), granéis são “cargas homogêneas, sem acondicionamento específico, apresentando-se sob a forma de sólidos, líquidos e gases. Compreendem as cargas não-acondicionadas, portanto, sem invólucro ou embalagem”. Esse tipo de carga não pode ser acondicionada em qualquer tipo de embalagem. Os granéis necessitam ser acomodados de forma individualizada, subdividindo-se em granéis sólidos e granéis líquidos.

(https://www.dpc.mar.mil.br/sites/default/files/sepm/portuarios/monografias/Gestao_Armazenamento_Graneis.pdf)

  • Granéis sólidos: minérios de ferro, manganês, bauxita, carvão, sal, trigo, soja, fertilizantes, etc.
  • Granéis líquidos: o petróleo e seus subprodutos, óleos vegetais, etc.

Os granéis são transportados por graneleiro, ou seja, veículo construído especialmente para transporte de cargas a granel: vagão graneleiro e navio graneleiro.

Tipos de vagões Graneleiros

De acordo com CAVALCANTI (1992) vagão Box graneleiro é um vagão fechado com escotilha no teto e com porta na lateral. Um sistema típico os granéis ser transportado para dentro é a “tulha” — um silo no alto que tem o fundo em “funil”, de onde sai um “tubo” flexível. O “tubo” é inserido na escotilha do teto do vagão, e abre-se a “válvula” — ou seja, a tulha. (http://vfco.brazilia.jor.br/vag/vagoes-graneleiros.shtml)

Figura 1: Tulha

Fonte: http://fateclog.blogspot.com.br/2011/11/cargas-granel.html

Figura 2: Vagão Box Graneleiro

Fonte: http://vfco.brazilia.jor.br/modelos/vagao/detalhamento-vagao-box-Frateschi-00.shtml

O tangue graneleiro normalmente tem seu formato redondo e podem transportar álcool combustível, derivados claros e óleo vegetal. Existe também o tanque graneleiro TPC que pode transportar cimento.

Figura 3: Vagão Tangue Graneleiro

Fonte: http://vfco.brazilia.jor.br/vag/vagALL/tsd.shtml

Figura 4: Vagão Tangue Graneleiro TPC

Fonte: http://vfco.brazilia.jor.br/vag/vagALL/tpc.shtml

Ainda segundo CAVALCANTI (1992), o vagão hopper é o “graneleiro” mais característico, e não se confunde com nenhum vagão-tanque, nem com o tradicional vagão fechado, pois não tem porta na lateral e sua característica é o interior inclinados em forma de funil por onde o granel é obrigado a escorregar.  Ele também conta com “tremonha” o nome das bocas de descarga no piso do box graneleiro. Existe dois tipos de vagão hopper o fechado e aberto.

(http://vfco.brazilia.jor.br/vag/vagoes-graneleiros.shtml)

Figura 5: Vagão Hopper Fechado

Fonte: http://vfco.brazilia.jor.br/modelos/vagao/vagao-hopper-fechado-Estireno-Bertossi.shtml

Figura 6: Vagão Hopper Aberto tipo Gondola

Fonte: http://shopferreo.com.br/produto/vagao-hopper-aberto-rffsa-frateschi-2093/7241

Tipos de Navios Graneleiros

Segundo o dicionário Básico Portuário, Graneleiros são navios especializados no transporte de mercadorias a granel, onde estão incluídos os navios tanque. Existem diferentes tipos, tais como Petroleiros de Brancos (para transporte de refinados), Petroleiros de Pretos (para transporte de óleo cru-crude oil), OBO carriers (para transporte de minério ou outras mercadorias secas a granel), Ore carriers (para o transporte de mercadorias pesadas, como minérios) ou simplesmente Bulk carriers (para transporte de mercadorias secas a granel).

(http://www.portosdoparana.pr.gov.br/arquivos/File/dicionario2011.pdf)

Os navios para transporte de carga a granel possuem construção especial, não possuindo guindastes ou ius de carga.

Navio Graneleiro Combinado – Navio graneleiro que pode transportar graneis sólidos e líquidos. É um graneleiro comum, com um sistema de bombas e redes para o trato de carga líquida, assim como um sistema para a limpeza e desgaseificação dos tanques.

Navio Graneleiro Combinado Universal – Navio graneleiro destinado ao transporte de minério, além de granéis líquidos e graneis sólidos leves.

Navio Petroleiro – Navio-tanque de construção especial, adequada ao transporte de petróleo bruto e derivados.

Figura 7: Navio Graneleiro Combinado Universal

Fonte: http://www.navioseportos.com.br/site/index.php/glossarios/glossarios/navio-graneleiro-combinado-universal

 

Figura 8: Navio Graneleiro Combinado

Fonte: http://gigantesdomundo.blogspot.com.br/2013/12/maior-navio-graneleiro-do-mundo.html

Figura 9: Navio Petroleiro

Fonte: http://gigantesdomundo.blogspot.com.br/2012/12/o-maior-navio-petroleiro-do-mundo.html

Os navios cargueiros são carregados pelo SHIPLOADER, máquina que se movimenta e carrega sem precisar movimentar o navio e é uma máquina automatizada e que anda sobre trilhos.  Para ver a máquina em ação acesse:  https://www.youtube.com/watch?v=ej0L2GJd2aE .

Figura 10: SHIPLOADER

Fonte: http://www.maquinascondor.com.br/site2008/produto.php?id=33

Os granéis sólidos são descarregados pela pá descarregadora e pelo picão espécie de trator com ponta. Acesse para ver as máquinas em ação:

Figura 11: Pá Descarregadora

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=5wVw6b59fB0

 

Figura 12: Picão

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=pPCUbTS5L6g

O que são Silos

Para Carneiro (1948) os silos são construções destinadas ao armazenamento e conservação de grãos secos, sementes, cereais e forragens verdes. Possibilitando assim o mínimo de influência do meio externo com o ambiente de estocagem, com o objetivo de manter inalteradas as características físicas, químicas e biológicas do produto, durante o período de armazenagem.

(http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0071-12761948000100001)

Formas de Silos

Segundo Ronde & Schiebroek (1986) o primeiro polígono existente o triangulo não pode ser usado para armazenamento, pois seus cantos, formam ângulos agudos conduziriam a sérios problemas no fluxo dos silos.

(http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/257235/1/Silva,%20Eduardo%20Teixeira%20da.pdf)

O quadrado tem uma forma conveniente para o armazenamento de produtos e não compromete o fluxo, porém necessita de uma elevada taxa de armadura, a medida que vai aumentando os lados conclui-se que a figura montada é um círculo, os silos de concreto armado, fabricados através do processo de formas deslizantes, são os mais utilizados nos últimos anos, os poligonais apresentam projetos ideais, porém são anti- econômicos devido aos encaixes estruturais. (Construção Civil I Silos Pré-moldados, Alisson M. Cooper, http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAZ2YAI/silos-pre-moldados)

Figura 13: Silos

Fonte: http://www.portocotegipe.com.br

Segurança nos Silos

Por serem fechados, enclausurados, perigosos e traiçoeiros, são conhecidos como espaços confinados e são objetos da NR33- Espaços Confinados, da NBR 14.787 da ABNT. (http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/silo.htm)

Explosões ocorrem com frequencia em instalações agrícolas ou industriais onde são processados: farinhas (trigo, milho, soja e cereais.)  e particulados (açúcar, arroz e cacau, etc).

Outros riscos são: lesões respiratórias (poeira) e do globo ocular, riscos físicos (ruído, iluminação, umidade, etc) e acidente geral (queda e sufocamento).

Há necessidade que a pessoa designada para executar qualquer tarefa em seu interior esteja devidamente treinada, orientada quanto aos riscos de acidentes e com boa saúde. Antes de entrar num silo para executar qualquer tarefa, recomenda-se que:

  • O operário nunca entre sozinho num silo;
  • Use equipamento de descida (como o da foto menor ao lado);
  • Tenha permissão prévia do seu superior;
  • Verifique se há gases e poeiras perigosas;

Figura 14:  Como as Pessoas são soterradas

Fonte: http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/silo.htm

Equipamentos de Proteção utilizados nos Silos

A Revista Proteção (N.158, fev./05), traz como reportagem de capa os ESPAÇOS CONFINADOS, relaciona os equipamentos de proteção individual (EPIs), equipamentos de proteção coletiva (EPCs) e instrumentos mais usados no Brasil para prevenir os acidentes nesses locais. Confira a relação: (http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/silo.htm)

EPIs:

  • Capacete com jugular
  • Luvas (PVC ou raspa)
  • Trava-quedas e acessórios
  • Botas de segurança
  • Óculos de segurança

EPCs:

  • Ventilador/insuflador de ar
  • Rádio para comunicação
  • Tripé
  • Detector de gases e/ou poeiras
  • Lanternas apropriadas
  • Sistema autônomo com peça facial

INSTRUMENTAÇÃO:

  • Detector de gases
  • Cromatógrafo
  • Explosímetro

 

 

CONCLUSÃO

Entende-se que esta área é muito interessante, pois mostra que os granéis sólidos e líquidos são melhor transportados pelo modais aquaviário e Ferroviário. Demostra também que os silos, lugares onde são armazenados os granéis sólidos, tem ocorrência de acidentes e que tem normas para serem seguidas desde sua construção até a normas de segurança.

Conclui-se que esta área merece um aprofundamento melhor mostrando os tipos de graneis e suas características, assim como os tipos de vagões e navios utilizados para transporte de granéis.

 

Referências

ADMINISTRAÇÃO DOS PORTOS DE PARANAGUÁ E ANTONINA. Dicionário Básico Portuário. Disponível em: <http://www.portosdoparana.pr.gov.br/arquivos/File/dicionario2011.pdf> Acesso em: 2 mai. 2017

BLOGISTICANDO. Cargas a Granel. Disponível em: <http://fateclog.blogspot.com.br/2011/11/cargas-granel.html&gt; Acesso em: 2 mai. 2017

GIGANTES DO MUNDO. Maior navio graneleiro do mundo. Disponível em: <http://gigantesdomundo.blogspot.com.br/2013/12/maior-navio-graneleiro-do-mundo.html> Acesso em: 23 abr. 2017.

INACCESS. Tipos de navios. Disponível em: <http://www.inaccess.com.br/?p=6613&gt; Acesso em: 2 mai. 2017.

JORESIMÃO. O Picão no porão do navio. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=pPCUbTS5L6g&gt; Acesso em: 02 mai. 2017.

MAQUINAS CONDOR.  Shiploader. Disponível em: <http://www.maquinascondor.com.br/site2008/produto.php?id=33&gt; Acesso em: 02 mai. 2017.

NAVIOS E PORTOS. Navio Graneleiro Combinado Universal. Disponível em: <http://www.navioseportos.com.br/site/index.php/glossarios/glossarios/navio-graneleiro-combinado-universal&gt; Acesso em: 2 mai. 2017.

PORTOGENTE. Granéis. Disponível em: <https://portogente.com.br/portopedia/78731-granel&gt; Acesso em: 23 abr. 2017.

PORTOCOTEGIPE. Porto. Disponível em: <http://www.portocotegipe.com.br/&gt; Acesso em: 2 mai. 2017.

RONDE, M. H. M.G. & SCHIEBROECK, C. J. M.. A new approach in silo design. Bulk Solids Handling. London, v.3, n.3, p.63-68, Sept. 1986

TELESTACK LTD. TS 331 Radial Telescopic Shiploader. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ej0L2GJd2aE&gt; Acesso em: 02 mai. 2017.

TRIEX PORTUÁRIA. Pá Carregadeira 924 à bordo. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=jUBcdKwpTNw&gt; Acesso em: 02 mai. 2017.

UFRRJ. Risco no Trabalho em Silos e Armazéns. Disponível em: <http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/silo.htm&gt; Acesso em: 02 mai. 2017.

Este é um trabalho de alunos para o exercício do aprendizado, uma prática da sala de aula. Não use para outros fins. Caso alguma citação esteja errada ou omitida gentileza avisar para a correção do texto.

  • Arquivo Mensal dos Posts

  • Blog Stats

    • 230,056 hits
  • Logislab no Face

  • Páginas

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

    Junte-se a 2.390 outros seguidores